História

Criada em 2007, a Associação Terra de Ciclismo (ATC) tem o objetivo de realizar ações esportivas como uma ferramenta potente, influenciadora e transformadora na formação integral do cidadão. Com enfoque no ciclismo, seus atendimentos vão desde a iniciação ao esporte de alto rendimento.

Responsável pela gestão da equipe de ciclismo de Ribeirão Preto, a ATC levou o time de figurante da modalidade ao topo do ranking nacional e passou a ser reconhecido e respeitado nacionalmente e internacionalmente.

Desde 2016, começou a trabalhar com as categorias de base. Com um trabalho sério e respaldado de bons profissionais, a equipe vem revelando novos talentos para o futuro do ciclismo brasileiro.

Assim, as promessas passaram a integrar a equipe principal, o que ajudou na conquista de excelentes resultados em competições importantes do nosso calendário e chegaram à seleção brasileira.

SELEÇÃO BRASILEIRA

Desde o início do Projeto Terra de Ciclismo/Ribeirão Preto, a equipe de ciclismo de Ribeirão Preto cedeu diversos atletas para a seleção brasileira.Destaques para a ribeirão-pretana Camila Pinheiro, que foi a primeira atleta convocada para a seleção brasileira. Campeã brasileiro de contra-relógio em 2005, Camila representou o país no ciclismo de pista nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro-2007.

Além de Camila, Mariane Ferreira foi outra ciclista da equipe que chegou à seleção brasileira. Ela integrou o time nacional em 2013.

No masculino, vários ciclistas chegaram à seleção após passar pela equipe ribeirão-pretana, como Raul Cançado, Jeovane Oliveira, Eduardo Pinheiro, Gideoni Monteiro e Jerre Adriano.

A lista ainda teve Thiago Nardin, Antoelson Dornelles e Antonio Garnero, Rafael Andriato, Cristian Egídio, Rodrigo do Nascimento, Alan Maniezzo e Maurício Knapp.

PENTACAMPEÃ DO RANKING NACIONAL

Com investimento modesto até 2010, a equipe de ciclismo de Ribeirão Preto se profissionalizou na década passada através da Lei do Incentivo ao Esporte. Assim, trouxe profissionais (fisiologista, fisioterapeuta, nutricionista e psicóloga), que ajudaram no desenvolvimento dos atletas.

Com esse trabalho, os resultados começaram a aparecer e o time se tornou uma das referências do país.

Em 2012, a equipe sagrou-se pela primeira vez campeão do ranking nacional. A conquista se repetiu em 2013, 2017, 2018 e 2019, quando faturou o inédito pentacampeonato. Neste período, ainda foi vice-campeã em 2014 e 2016, além de um terceiro lugar em 2015.

TÍTULOS E PÓDIOS NO CAMPEONATO BRASILEIRO

Além dos títulos por equipes do ranking nacional, os ciclistas da equipe ribeirão-pretana conquistaram resultados individuais expressivos no Campeonato Brasileiro. Desde 2013, o time virou presença constante nos pódios da principal competição do país.

A trajetória de conquistas começou com Rodrigo Nascimento, que sagrou-se campeão do Campeonato Brasileiro de Estrada. No mesmo ano, ele ainda foi bronze no Campeonato Brasileiro de Contrarrelógio.

Na temporada seguinte, o ciclista mostrou que o feito não foi por acaso. Ele foi vice-campeão do Brasileiro de Contrarrelógio e ficou em quarto no Brasileiro de Estrada. Na mesma prova, Thiago Nardin levou o bronze.

Em 2015, Jeovane de Oliveira foi prata na resistência. No contrarrelógio, Rodrigo Nascimento ganhou mais uma medalha após faturar o bronze. A equipe esteve no pódio também na categoria sub-23 do contrarrelógio com Lucas Ribeiro, que foi prata. Na mesma temporada ainda, o time venceu a prova de perseguição por equipes.

No ano seguinte, Rodrigo do Nascimento repetiu o feito de 2013 e sagrou-se campeão do Campeonato Brasileiro. Desta vez, ele faturou o título no contrarrelógio.

Já em 2017, a equipe de Ribeirão Preto colocou quatro atletas no pódio do Brasileiro. Na estrada, Rodrigo Nascimento foi prata. No contrarrelógio, Cristian Egídio também faturou a prata, enquanto Maurício Knapp foi bronze.

Um ano depois, Rodrigo Nascimento voltou a subir no lugar mais alto do pódio. Assim como fez em 2013, ele sagrou-se campeão brasileiro de estrada. Já Cristian Egídio repetiu a prata no contrarrelógio. A equipe ainda obteve medalhas com Leonardo Finkler, prata na estrada e no contrarrelógio na categoria sub-23.

Em 2019, Ribeirão Preto esteve no pódio com Alessandro Guimarães, prata no Brasileiro de Estrada. No contrarrelógio, Cristian Egídio pelo terceiro ano consecutivo também foi prata, enquanto Rodrigo do Nascimento ganhou o bronze.

OUTRAS CONQUISTAS

A equipe de ciclismo de Ribeirão Preto também brilhou em outras provas pelo país e nos últimos anos em competições na América do Sul.

Com a tradicional camisa azul, cor da equipe, os ciclistas faturaram provas tradicionais do ciclismo brasileiro, como a Prova Ciclística Internacional 9 de Julho, GP 1º de Maio/Ayrton Senna, 100 km de Brasília, Copa Cidade Canção, Prova de São Salvador, além da Volta Ciclística Internacional de Goiás, Volta Ciclística Internacional do ABCD, Volta Ciclística da Inconfidência Mineira, Volta de Curitiba, Volta Ciclística do Estado de São Paulo, entre outras.

Já na América do Sul, o time ribeirão-pretano ganhou etapas da Rutas da América, Volta Ciclística do Uruguai, além de um vice-campeonato no geral com Cristian Egídio da Volta do Uruguai.

A equipe também dominou os Jogos Regionais, onde foi campeão por mais de dez vezes marcando pontos importantes para a cidade.

FEMININO

A equipe feminina de ciclismo de Ribeirão Preto também coleciona títulos importantes. A principal atleta da modalidade foi Camila Pinheiro, campeão brasileira de contrarrelógio em 2005 e com passagens pela seleção brasileira.

Outras atletas que escreveram o seu nome na história da equipe com conquistas foi Ginema Stocco e a paratleta Mariana Garcia, que colecionou conquistas e títulos. Entre eles, destaques para as medalhas de prata no Campeonato Pan-Americano de Paraciclismo na estrada e no contrarrelógio.

CATEGORIAS DE BASE

Desde 2016, a ATC trabalha com afinco nas categorias de base, principal foco da entidade para 2021. O objetivo é revelar jovens talentos para o esporte brasileiro.

Neste período, duas promessas despontaram para o ciclismo nacional: João Pedro Rossi e Marcos Levy, que conquistaram inúmeros troféus e entraram no radar da seleção brasileira.

Além dos títulos individuais, a equipe ribeirão-pretana conquistou o tetracampeonato da Copa São Paulo.

Atualmente, o time conta com 12 ciclistas entre homens e mulheres. A idade dos atletas varia entre 12 e 18 anos.

Confira em nosso site os principais títulos conquistados pelos atletas que surgiram das nossas ruas e estradas.

ESCOLA DE CICLISMO PEDALANDO PARA O FUTURO

Para aumentar ainda mais o número de jovens atletas interessados na prática da modalidade e a conscientização dos ciclistas que utilizam a bicicleta como meio de transporte, a Associação Terra de Ciclismo criou a Escolinha de Ciclismo “Pedalando para o Futuro”, que tem o objetivo de passar educação de trânsito para crianças carentes utilizando a bicicleta como ferramenta e, principalmente, estimulando a prática deste esporte, o ciclismo.

Com o objetivo de habilitar e ensinar a pedalar corretamente, são apresentadas às crianças informações de trânsito através da bicicleta, com aulas práticas sobre o tema, além de normas de segurança no trânsito.