Categoria Elite

 

Com a Associação Terra de Ciclismo, a Equipe de Ciclismo de Ribeirão Preto deu um salto de qualidade e profissionalismo. Profissionais de outras áreas foram contratados, como fisiologista, fisioterapeuta, nutricionista e psicóloga, o que ajudou no crescimento dos atletas.

Assim, os resultados começaram a aparecer e o time se tornou uma das referências do país.

Em 2012, a equipe sagrou-se pela primeira vez campeã do ranking nacional. A conquista se repetiu em 2013, 2017, 2018 e 2019, quando faturou o inédito pentacampeonato. Neste período, ainda foi vice-campeã em 2014 e 2016, além de um terceiro lugar em 2015.

Além dos títulos por equipes do ranking nacional, os ciclistas da equipe ribeirão-pretana conquistaram resultados individuais expressivos no Campeonato Brasileiro. Desde 2013, o time virou presença constante nos pódios da principal competição do país.

A trajetória de conquistas começou com Rodrigo Nascimento, que sagrou-se campeão do Campeonato Brasileiro de Estrada. No mesmo ano, ele ainda foi bronze no Campeonato Brasileiro de Contrarrelógio. Na temporada seguinte, o ciclista mostrou que o feito não foi por acaso. Ele foi vice-campeão do Brasileiro de Contrarrelógio e ficou em quarto no Brasileiro de Estrada. Na mesma prova, Thiago Nardin levou o bronze.

Em 2015, Jeovane de Oliveira foi prata na resistência. No contrarrelógio, Rodrigo Nascimento ganhou mais uma medalha após faturar o bronze. A equipe esteve no pódio também na categoria sub-23 do contrarrelógio com Lucas Ribeiro, que foi prata. Na mesma temporada ainda, o time venceu a prova de perseguição por equipes.

No ano seguinte, Rodrigo do Nascimento repetiu o feito de 2013 e sagrou-se campeão do Campeonato Brasileiro. Desta vez, ele faturou o título no contrarrelógio. Já em 2017, a equipe de Ribeirão Preto colocou quatro atletas no pódio do Brasileiro. Na estrada, Rodrigo Nascimento foi prata. No contrarrelógio, Cristian Egídio também faturou a prata, enquanto Maurício Knapp foi bronze.

Um ano depois, Rodrigo Nascimento voltou a subir no lugar mais alto do pódio. Assim como fez em 2013, ele sagrou-se campeão brasileiro de estrada. Já Cristian Egídio repetiu a prata no contrarrelógio. A equipe ainda obteve medalhas com Leonardo Finkler, prata na estrada e no contrarrelógio na categoria sub-23.

Em 2019, Ribeirão Preto esteve no pódio com Alessandro Guimarães, prata no Brasileiro de Estrada. No contrarrelógio, Cristian Egídio pelo terceiro ano consecutivo também foi prata, enquanto Rodrigo do Nascimento ganhou o bronze.

OUTRAS CONQUISTAS

A equipe de ciclismo de Ribeirão Preto também brilhou em outras provas pelo país e nos últimos anos em competições na América do Sul.

Com a tradicional camisa azul, cor da equipe, os ciclistas faturaram provas tradicionais do ciclismo brasileiro, como a Prova Ciclística Internacional 9 de Julho, GP 1º de Maio/Ayrton Senna, 100 km de Brasília, Copa Cidade Canção, Prova de São Salvador, além da Volta Ciclística Internacional de Goiás, Volta Ciclística Internacional do ABCD, Volta Ciclística da Inconfidência Mineira, Volta de Curitiba, Volta Ciclística do Estado de São Paulo, entre outras.

Já na América do Sul, o time ribeirão-pretano ganhou etapas da Rutas da América, Volta Ciclística do Uruguai, além de um vice-campeonato no geral com Cristian Egídio da Volta do Uruguai.

A equipe também dominou os Jogos Regionais, onde foi campeão por mais de dez vezes marcando pontos importantes para a cidade.

FEMININO

A equipe feminina de ciclismo de Ribeirão Preto também coleciona títulos importantes. A principal atleta da modalidade foi Camila Pinheiro, campeão brasileira de contrarrelógio em 2005 e com passagens pela seleção brasileira.

Outras atletas que escreveram o seu nome na história da equipe com conquistas foi Ginema Stocco e a paratleta Mariana Garcia, que colecionou conquistas e títulos. Entre eles, destaques para as medalhas de prata no Campeonato Pan-Americano de Paraciclismo na estrada e no contrarrelógio.